sexta-feira, fevereiro 25, 2011

O Parto da Carolina

O parto da Carolina foi bem diferente do parto da Filipa. Apesar de serem ambos partos normais e de serem ambos momentos MARAVILHOSOS da minha vida.

Eu não estava tão bem preparada para o parto da Carolina como estava para o da Filipa. Acabei por não fazer preparação para o parto, pois ia começar as aulas no dia em que fui internada. Psicologicamente também não estava preparada...por mais que tentasse e que racionalmente quisesse...existia uma barreira emocional (talvez inconsciente) que não me deixava acreditar que iria ter a minha menina nos braços.

Durante toda a gravidez, por mais que tentasse ter uma atitude positiva, tive muito medo que algo corresse mal.O facto de sentir que esta era a minha última hipótese de voltar a ser mãe criou uma pressão emocional maior.

No final da gravidez, queria relaxar e preparar-me para o momento do nascimento da minha filhota. As aulas de preparação para o parto iriam ajudar (achava eu) e eu tentava acreditar que tudo iria correr bem. Pensei que estes últimos dois meses de gravidez, com uma atitude mais positiva, ajudaria-me a mudar o que eu sentia e a acreditar que o sonho se iria concretizar.



A colestase veio a perturbar estes meus planos. Ao pesquisar na net sobre esta doença... as palavras "morte fetal" e "hemorregia cerebral" vieram ainda criar-me mais medos. O facto de ter ficado internada ajudou a sentir-me mais segura e a viver,de certo modo, em função da minha bebé. (Até voltei a fazer ponto cruz e bordei algumas coisinhas para a Carolina).

Na véspera do parto a bebé pregou-me um grande susto. No habitual CTG, antes do jantar, a Carolina estava muito sossegadinha. A enfermeira veio falar comigo e disse-me que teriamos que o repetir após o jantar. Antes de terminar o jantar já tinha a enfermeira à porta do quarto a ver se já o tinha terminado...claro está que o engoli... estava a ficar preocupada. Após o jantar lá repeti o CTG. A bebé continuava pouco reactiva. Comecei a ficar em "pânico". A enfermeira disse-me para ficar descansada pois estava no sítio certo para isto acontecer. "era mau, se estivesse em casa...aqui tem as condições todas...e se for preciso ela nasce hoje". Depois, trouxeram uma máquina que provocava vibrações (nunca a tinha visto)... e passado um bocado a minha princesa lá começou a reagir. Estive mais de uma hora ligada ao CTG...depois disseram-me que estava tudo bem...que provavelmente ela estaria a dormir.
Foram momentos bem difíceis para mim... que despertaram todos os meus medos.

No dia seguinte foi o dia da indução. Acordei às 7 a.m. e fiz logo um CTG. Depois de me preparar (microlax, banho e vestir a roupa do hospital e pequeno-almoço) vem a médica do internamento colocar uns comprimidos para induzir o parto. Eram 9:30. Ainda disse "Este quarto vai ser o que se vai despachar mais rápido"

A seguir tive que ficar duas horas deitada. As contrações foram começando a ficar menos espaçadas e algumas com uma dor mais intensa.

Após o almoço já tinha umas dores jeitosas.

Às 14h a médica veio reavaliar-nos (eramos várias mulheres a induzir o parto).

A médica disse-me que já tinha 3 dedos de dilatação e para andar , para que as contracções não diminuissem. Foi o que fiz...entretanto as dores já eram mais que muitas...já estava com dificuldade em a aguentar.

A médica ainda estava a observar as outras pacientes, quando viu que eu já estava bem aflita. Resolveu observar-me novamente... 5 cm de dilatação. "Bem vai lá para baixo", disse.

Finalmente, vou para o bloco de partos, pensei eu.

Entretanto começaram a preparar tudo depressa (porem-me a soro, na maca, trazer processo...)Não sei quanto tempo tinha passado entre a primeira e a segunda avaliação, mas pelo que percebi, tinha sido pouco tempo. "Se for preciso fazemos o parto aqui", disse-me a médica.

Entretanto, liguei ao Rui a avisá-lo que ia para baixo, ele já estava no hospital. Eram 15:22.

As contracções já estavam bem seguidas e bem dolorosas.

E lá fui eu para o bloco de partos... a tentar fazer as respirações correctas (que já não me lembrava como eram).

Quando cheguei à box, já lá estavam médicos ou enfermeiras... avaliaram-me "6cm".

Entretanto chegou a minha médica e disse que fazia este parto. Fiquei super feliz...queria tanto o conforto e a confiança que a sua presença me trazia.

Perguntou-me se queria epidural. Disse que sim...e relembrei que da Filipa já não levei por estar com 7 cm, mas que depois estive mais de uma hora a fazer força para ela sair.

E lá levei eu a epidural. Esperava que me tirasse as dores...mas não tive essa sorte. A epidural fez o que mais tarde me disseram ser "efeito de janela". Anestesiou apenas o meu lado esquerdo. No lado direito continuei a sentir todas as dores :-(

Ainda me deram um reforço, mas não adiantou de nada. Sentia as contracções...e doía bem. (Mas com certeza que sempre foi melhor do que se não tivesse um lado anestesiado).

O Rui veio para o meu lado. :-)

E passado pouco tempo já estava a fazer força para a minha princesa nascer.

A expulsão foi bem mais dolorosa, do que a expulsão do parto da Pipoca, embora tenha demorado muito menos tempo. E isto porque a Carolina não estava numa posição muito boa para nascer. Vinha de nariz para a frente. (No esquema que descobri na net é a posição "de face").





Mais tarde, disseram-me que a maior parte das vezes estes partos têm que ser feitos com fórcepes ou ventosa. Mas não foi preciso estes auxílios...a médica e a parteira conseguiram ajudar a pequenina a nascer deste modo. Claro está que tive que ser cortada...e um pouco mais do que seria normal :-(

E assim, com a ajuda (psicológica) do Rui, da minha querida médica e da enfermeira parteira... a minha pequenina nasceu, às 17:23, com 2910g e com indice apgar 9 - 10.

Depois, ela esteve em cima do meu peito durante todo o tempo que saiu a placenta , me coseram, etc.

Quando a vi... continuava a não parecer a realidade. Parecia um sonho. Eu ainda não acreditava... Ainda demorei um pouquinho até "cair na realidade"... só o consegui, durante o recobro quando lhe dei de mamar pela primeira vez.
Passei horas a olhar para ela e a dizer para mim própria que tinhamos conseguido... que finalmente, a Pipoquinha tinha a mana que pedia há tanto tempo.

Estou completamente derretida com a Carolina. Ser mãe, novamente, é FABULOSO.
ESTOU SUPER FELIZ!!!!
ADORO A MINHA BEBÉ. :-)

P.S. Este post não poderia ficar pronto sem as duas fotos que acrescentei: A primeira: uma foto da minha barriga, na véspera do parto, antes do tal CTG que me deixou em pânico.
A segunda: uma foto da Carolina acabadinha de nascer.

6 comentários:

Maria disse...

Amiga, que post lindo!!
Sabes, ando cheia de vontade de fazer um assim desde o 1º dia. Mas tinha que ser um 2 em 1, porque não consigo falar deste parto sem falar do da Mariana também, é que foram tão diferentes e tão iguais... Tão diferentes na forma como decorreram, e na pouca preparação que tinha para este. Tão iguais na magia que ambos tiveram, porque é sempre mágico dar à luz!
Talvez um dia ainda o escreva, até para guardar a recordação para além da minha memória, para elas um dia conhecerem um pouco do turbilhão de emoções que cada uma me trouxe.
beijinhos grandes COMPANHEIRA ;)

disse...

a carolina é linda!!

gostei do relato do parto.a minha filhota nasceu de nadegas.uma marota!!

beijinhos

inesn disse...

até eu ainda estou em pulgas com a chegada da vossa menina :))

um abraço enorme!

Ana Cravo disse...

Que lindo, ainda bem que acabou por correr tudo bem e as princesas estarem bem
Beijoca

R disse...

foi bom porque tudo acabou bem né? o resto não importa...

(ou o mehor é importar antes que te apeteça o terceiro - que aposto que vai apetecer mais cedo ou mais tarde :o) :o) )

Bjssssssss

R disse...

era eu!

SaraMM